RECICLAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS POR COMPOSTAGEM

(Compostagem Clássica)

A compostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica, ou seja, um processo natural em que os microrganismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica, transformando-a num material rico em nutrientes e fértil. É um processo lento, divido em três fases, em que é preciso revolver os materiais e controlar regularmente a humidade e a temperatura, para que tenha sucesso.

Na primeira fase, que tem a duração de pelo menos duas semanas a um mês, começam a distribuir-se bactérias e fungos designados por mesófilos, pela matéria orgânica aglomerada no compostor estático, dando início à decomposição dos materiais, sendo primeiramente metabolizadas as moléculas mais simples, a temperaturas entre os 20º e os 45ºC.

Na segunda fase a mais longa do processo que pode estender-se por três meses ou mais, entram em ação os fungos e as bactérias designadas termófilos, capacitados para sobreviver a temperaturas entre os 65º e os 70ºC e uma maior disponibilidade de oxigénio obtida pelo revolvimento da matéria orgânica, que degradam as moléculas mais complexas e que eliminam os agentes patogénicos.

Na terceira e última fase, que pode durar até dois meses, verifica-se a diminuição da atividade microbiana, da temperatura e da acidez. É um período de estabilização que produz a maturação do composto, que ocorre quando a decomposição microbiológica se completa e a matéria orgânica é transformada em húmus, livre de toxicidade, metais pesados e agentes patogénicos.

 

(Compostagem Rápida)

A compostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica, ou seja, um processo natural em que os microrganismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica, transformando-a num material rico em nutrientes e fértil. É um processo lento, divido em três fases, em que é preciso revolver os materiais e controlar regularmente a humidade e a temperatura, para que tenha sucesso.

Na primeira fase, que tem a duração de pelo menos duas semanas a um mês, começam a distribuir-se bactérias e fungos designados por mesófilos, pela matéria orgânica aglomerada no compostor estático, dando início à decomposição dos materiais, sendo primeiramente metabolizadas as moléculas mais simples, a temperaturas entre os 20º e os 45ºC.

Na segunda fase a mais longa do processo que pode estender-se por três meses ou mais, entram em ação os fungos e as bactérias designadas termófilos, capacitados para sobreviver a temperaturas entre os 65º e os 70ºC e uma maior disponibilidade de oxigénio obtida pelo revolvimento da matéria orgânica, que degradam as moléculas mais complexas e que eliminam os agentes patogénicos.

Na terceira e última fase, que pode durar até dois meses, verifica-se a diminuição da atividade microbiana, da temperatura e da acidez. É um período de estabilização que produz a maturação do composto, que ocorre quando a decomposição microbiológica se completa e a matéria orgânica é transformada em húmus, livre de toxicidade, metais pesados e agentes patogénicos.

 

(Compostagem Acelerada)

A compostagem acelerada é um processo que utiliza energia elétrica e um dos métodos mais modernos e ecológico, para a reciclagem, tratamento e valorização da parcela orgânica biodegradável, que usa um tipo de reator que força a matéria a ser rapidamente decomposta, através de ações de agitação, desidratação, desintegração, calor e ainda de microrganismos. Neste processo confinado de aeração forçada, a geração de líquidos percolados, a exalação de gases e a exposição dos materiais à biodiversidade do meio são totalmente controlados, os parâmetros mais importantes como a humidade e a temperatura, são monitorizados através de sensores e instrumentos de precisão, que assim asseguram um processo de compostagem totalmente seguro e célere.

Os novos e sofisticados equipamentos elétricos de compostagem acelerada, começam com máquinas para o setor doméstico que processam desde os 2kg/dia, passam pelo setor comercial e estendem-se até ao setor industrial, com sistemas que podem processar até 50 toneladas/dia, ou mais.