Reciclagem de resíduos orgânicos

(Compostagem acelerada)

A COMPOSTAGEM ACELERADA é um dos métodos mais viáveis de reaproveitamento da parcela orgânica biodegradável, que usa um tipo de reator que força a matéria a ser rapidamente decomposta, através processos de agitação, desidratação, calor e de microrganismos. Neste processo confinado de aeração forçada, a geração de líquidos percolados, a exalação de gases e a exposição dos materiais à biodiversidade do meio são totalmente controlados, os parâmetros mais importantes como a humidade e a temperatura, são monitorizados através de sensores e instrumentos de precisão, que assim asseguram um processo de compostagem totalmente seguro e célere.

Os novos e sofisticados equipamentos de compostagem acelerada, começam com máquinas para o setor doméstico que processam desde os 2kg/dia e estendem-se até ao setor industrial, com sistemas que podem processar até 30 toneladas/dia, ou mais.

(Carbonização induzida)

A CARBONIZAÇÃO INDUZIDA POR CATALISADOR é uma nova solução, amiga do ambiente, destinada à reciclagem de matéria orgânica. Este método separa as ligações entre as moléculas e decompõe a matéria orgânica em carbono, azoto e água. Também existe uma produção de hidrogénio, mas combinado com oxigénio no ar, transforma-se em H2O. O carvão em pó obtido, após a carbonização por meio do catalisador, pode ser utilizado como um combustível de alta qualidade, beneficiador de solos ou purificador de água.

Consiste num método de mistura, aquecimento, agitação e carbonização de compostos orgânicos por decomposição catalítica, em vez de um método simples de secagem por aquecimento direto ou indireto. Este método de carbonização pode ser aplicado não só para resíduos alimentares, incluindo cascas de bivalves e outros tipos de cascas e caroços, mas também para resíduos inorgânicos como plástico, esferovite e madeira.

Esta nova solução está disponível com equipamentos para processar resíduos a partir dos100kg até aos 1000kg por dia.

(Biodigestão)

A BIODIGESTÂO é um processo de fermentação semelhante à compostagem, mas totalmente anaeróbio (sem presença de oxigénio), para a reciclagem de resíduos orgânicos de origem alimentar e outros, que obtém como subprodutos um biogás e um biofertilizante, que podem ser aproveitados em prol da economia circular.

É um sistema que digere os resíduos orgânicos, sendo um processo 100% natural, realizado por microrganismos, que gera um biocombustível, (composto basicamente por dois gases de efeito estufa, metano (CH4) e dióxido de carbono (CO²), uma fonte de energia renovável designada por biogás e um resíduo líquido rico em minerais, que pode ser utilizado como biofertilizante e/ou bio inseticida.

Os equipamentos de biodigestão estão disponíveis para praticamente todos os setores, desde os domésticos ou de jardim, passando pelos comerciais e terminando nos grandes sistemas para indústrias, agropecuárias, etc., que geram grandes quantidades de biogás.